Quem é o atual consumidor de luxo?

Quem é o atual consumidor de luxo?

Tradicional pesquisa traz as preferências e os comportamentos do público que realmente compram produtos de luxo

A sexta edição anual da pesquisa “True-Luxury Global Consumer Insight”, realizada pelo The Boston Consulting Group, em parceria com a Altagamma (fundação italiana da indústria de luxo cultural e criativa), foi publicada recentemente e traz um cenário bem abrangente sobre quem são os atuais consumidores do mercado de luxo. Dentre as principais preferências e comportamentos identificados estão:

O gosto pelo luxo de segunda mão

Grande parte dos consumidores (60%) se interessam por comprar artigos de luxo usados devido a fatores como edição limitada ou vintage, busca por itens esgotados e a maior transparência no preço e na autenticidade fornecidos pelas plataformas online que estão cada vez mais profissionais.

Um terço dos consumidores vendem produtos através dessas plataformas para liberar o guarda-roupa (44%), financiar novas compras de luxo (21%) e abraçar o comportamento sustentável (17%).

Mais da metade dos consumidores jovens consideram o valor de revenda na hora da compra dos produtos, proporcionando uma perspectiva otimista para o futuro do luxo de segunda mão. Eles são mais propensos a vender, enquanto os consumidores mais velhos são mais propensos a comprar o luxo de segunda mão.

A empatia por produtos com assinaturas colaborativas

A colaboração entre as marcas tradicionais de luxo e os artistas de Streetwear são altamente valorizadas pelos atuais consumidores, com 90% de reconhecimento e 50% comprando itens de edições especiais. As gerações mais jovens (67% Gen Z, 60% Millennials) são os principais compradores desses produtos.

Os consumidores ‘True-Luxury’ são atraídos por produtos oriundos de colaborações porque eles imprimem novos e exclusivos estilos chancelados pelas tradicionais marcas de luxo. Essa forte demanda espelha o surgimento de novos valores do luxo que incluem inovação, diversão e extravagância.

A preocupação com a sustentabilidade

Mais de 60% dos consumidores preferem uma marca que se preocupa com a sustentabilidade, sendo que 56% se educam sobre as ações de uma marca em relação à responsabilidade social.

Na hora da compra, os critérios de sustentabilidade mais valorizados dizem respeito às questões ambientais (37%), animais (27%) e éticas (21%), impulsionadas por consumidores mais jovens (64% Gen. Z e Millennials).

De olho no estilo casual wear

A adoção de um estilo mais casual continua ganhando força entre os consumidores ‘True-Luxury’, impulsionado pela maior aceitação de looks casuais em diversas ocasiões, inclusive no trabalho. No entanto, para as gerações mais maduras, a saturação do vestuário formal é o principal fator da mudança para a moda casual de luxo, seguida pelo desejo de conforto.

A relevância das mídias sociais e dos influenciadores

A mídia social e os influenciadores são hoje a principal ferramenta de influência sobre os consumidores de luxo, com um aumento de 30% desde 2013.

Mais de 80% desse público usa as mídias sociais para interagir com as marcas, os bloggers de moda e os parceiros do segmento de luxo.

Um amigo chamado e-commerce

As vendas online atingiram 21% das últimas ocasiões de compra, tendo crescido consistentemente ao longo dos últimos anos. A maioria das compras online (59%) são adicionais às vendas físicas, ou seja, elas não são canibalizadoras como alguns comerciantes julgam.

O desejo explícito pelo Omnichannel

Em média, 50% dos consumidores de luxo querem um serviço logístico integrado entre online e offline para sua escolha. Eles preferem as marcas que oferecem as mesmas promoções e recompensas, não importando o canal. E 30% já procura uma imagem de marca consistente e única entre os diferentes canais.

A loja física monomarca ainda é a queridinha

A loja física monomarca continua a ser o canal preferido dos consumidores ‘True-Luxury’, representando 30% das vendas. Em um ambiente cada vez mais on-line, os esforços das marcas para aumentar o tráfego de pedestres foram fundamentais para manter esse canal de venda relevante, também entre os consumidores mais jovens. A disponibilidade dos produtos, incluindo edições especiais, juntamente com experiências e eventos exclusivos na loja, são as principais razões pelas quais os entrevistados compram com mais frequência neste ambiente.

A crescente demanda por nichos

Cerca de 46% dos consumidores estão deslocando parte de seus gastos com as marcas tradicionais para as marcas de nicho. Os consumidores mais jovens são atraídos pelo nicho de luxo por causa da percepção de exclusividade, enquanto os consumidores mais velhos acreditam que o nicho oferece melhor relação preço-qualidade.

Sim, eles querem a personalização

O ‘feito sob medida’ é a demanda mais desejada pelos consumidores ‘True-Luxury’. As gerações mais jovens ainda estão mais dispostas a esperar ou pagar mais por produtos personalizados.

Fonte: Portal FENINJER, 12/06/2019


voltar